nos trilhos e redondezas;

k

(:

 

Anúncios

8 comentários em “nos trilhos e redondezas;

  1. Vejo tuas fotos e me ponho a lastimar por Brasília ser uma cidade culturalmente tão pobre. Também por ser uma cidade feia. Vejo tanto verde aí, e paisagens tão bonitas capturadas por você, com sua câmera. Parece um universo à parte.

    Apesar de o meu verdadeiro anseio ser mudar-me para a Europa, eu viveria mais resignado num lugar como esse onde vives, e que vejo através do teu blog. (Acho que ando vivendo um surto bucólico, rs). Espero não estar enganado quanto ao encanto do lugar, pois a fotografia, como toda arte, também se vale de encontrar na feiura a beleza, e, registrando-a, nos faz enxergar o mundo através dos olhos do(a) artista (que vê mais com o coração do que com os olhos).

    Ao menos não penso estar enganado quanto a isto: somos, ambos, admiradores do belo.

    Continue postando, s’il vous plaît.

    Até!

    PS. “Fundamentos do Budismo” (vi n’outro post) é um bom livro sobre o assunto? Tenho muito dessa literatura, mas nunca li esse título.

    Ciao.

    1. hey, fico feliz por minhas fts te porporcionarem tais reflexões e o surto bucólico então! haha
      de fato, brasília não me agrada/atrai nem um pouco.. mas quanto ao lado cultural, é vazio (?) não imaginava, afinal é a capital, parece estranho, mas pensando bem é até aceitável. No brasil até a cultura é super mal distribuída -assim como tudo por aqui mimi

    2. bem, sobre curitiba – não me vejo em outro lugar melhor aqui no brasil .. há muito verde aqui, de fato, mas é só uma cidade um pouco menos devastada .. não deixamos de ser uma capital a la sao paulo, com problemas urbanos ainda maiores se pa, mas o verde dá uma enganada (HAHA) HM, minhas fts verdes são geralmente no quintal da minha casa, um contraste na verdade, tenho sorte de ter tanto espaço para minhas artes bucólicas rere. mas ein, europa também me é um sonho, mas temporário, me imagino inconstante pelo mundo – nômade D: mas no fundo, meu lugar é aqui mesmo, sempre voltarei pra cá (:

      1. É um belo jardim, tenho que admitir. Tenho esperança de ter algo parecido algum dia. Até tenho planos de mudar-me para Curitiba, já que para a Europa parece ser “um pouquinho mais difícil”, rs.

        Caso conseguisse, eu não seria tão nômade. Acredito que viveria na Inglaterra, mas certamente visitaria Berlim e Paris. Quem sabe também a Noruega.

        Infelizmente tudo isso é, ainda, um sonho.

        Se eu conseguir meu PhD. por lá (Inglaterra) faço de tudo para permanecer. Mas enquanto nada disso se concretiza, penso mesmo em sair de Brasília para Curitiba ou Porto Alegre.

        Enfim, belíssimo jardim! : )

        PS. Se souber de uma vaga para Professor de Filosofia (para Ensino Médio ou Universidade) lembre de mim.

      2. heeey, eu super apoio professores de filosofia migrando para cá!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! voce é o segundo que acabo conhecendo pelo blog, omg! acho que são tão raros em todo lugar, creio que são super almejados em qualquer lugar hoje em dia .. ai, eu planejo ir pra europa pra valer, fica a tempo de conhece tudo o que eu quero (ok, precisaria de anos lá), não só paris e as capitais famosas, mas os lugares que ninguém comenta sobre, as regiões balcãs com fazendinhas que ainda vivem de geleia e chucrute e coisas do tipo, nossa.. AI, eu também quero fazer mestrado/doutorado fora, vou me entediar com sempre os mesmos laboratorios.. voce já é doutor então? wow ein

    3. sobre “fundamentos do Budismo” .. o livro é explicativo até se tornar repetitivo, não gostei muito .,. o tema me atrai muito, mas a leitura me afugentou, é. se tiver algo a me indicar, vou adorar (((:

      1. Bom, com relação a literatura budista, eu recomendo os textos de Karishnanda. “O Evangelho de Buda”, escrito por ele, oferece um bom alicerce para o estudo do Tripitaka (o compedium da filosofia budista).

        “O Livro Tibetano dos Mortos” é outro clássico essencial.

        Para não citar livros e mais livros, deixo uma listinha dos autores que li e que julguei serem os melhores:

        Surya Das, Kalu Riponche, Padma Samten (brasileiro), Tenzin Gyatso e Padma Sambhava.

        Da literatura oriental, em si, não se pode deixar de lado Confúcio (e sua obra máxima, Os Analectos) e Lao-Tsé com seu Tao Te Ching. São valiosas leituras.

        Por último, recomendo os Upanishads. Trata da religiosidade hindu, base do budismo, e são textos um pouco mais difíceis de se encontrar. Na falta deles, os textos de Prabhupada são também interessantes.

        Espero que me perdoe pelo fato de eu não ter me restringido à literatura budista, mas, os que “fugiram do tema”, são pensamentos intimamente relacionados e igualmente ricos.

        Espero que seja de alguma utilidade.

        Até!

      2. nossa, anotei tudo aqui .. você tem uma bagagem super quanto a esse assunto ein! ual. você já conheceu na prática algum templo? cults curtem budismo, boatos. muito obrigada pelo empenho, sinto-me lisonjeada com tanta recomendação digna ._.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s